Clubes do México estão fora da Libertadores

Calendário local não é compatível com novo formato da Libertadores

 Embora tenham três vagas reservadas pela Conmebol, os clubes do México não disputarão a Copa Libertadores já a partir de 2017. A decisão foi tomada pela incompatibilidade de datas entre a Liguilla, torneio local, e a fase final da competição continental.

A coincidência foi ocasionada pela mudança do calendário da Libertadores promovida pela Conmebol. Agora, o torneio será realizado entre 1º de fevereiro e 29 de novembro, ocupando toda a temporada. Até então, a Copa era encerrada no meio do ano.

A informação ainda não é oficial, mas foi adiantada pela ESPN do México. Ao jornal mexicano Récord, Andrés Fassi, vice-presidente do Grupo Pachuca, dono dos clubes Pachuca-MEX e Talleres de Córdoba, da Argentina, confirmou a informação.

”Lamentavelmente, por agora, os calendários estão incompatíveis entre a Liguilla e a fase final da Libertadores. Isso torna impossível a participação do México. É importante poder participar de um torneio de tanta envergadura como a Libertadores, mas o problema é que os calendários coincidem. Tomara que busquem alternativas para que o México volte a partiticipar no futuro”, disse Andrés Fassi.

O dirigente lembrou que o México tem todo interesse em estar na Libertadores, mas não foi possível encontrar um consenso em relação às datas. “Mais que uma negociação, é uma situação de calendário. As negociações existiram, há interesse de Conmebol e México, mas não houve possibilidade de conciliar os calendários”, acrescentou o executivo.

Oficialmente, a Conmebol não se manifestou sobre a desistência dos mexicanos. As vagas da Libertadores eram ocupadas anualmente pelo campeão da Supercopa Mexicana e os dois melhores classificados no torneio Apertura que não iam à Liga dos Campeões da Concacaf.

Até a saída dos três representantes do país da América da Norte, a Copa Libertadores 2017 estava confirmada com 44 clubes: Brasil (sete), Argentina (seis), Colômbia (cinco), Chile (quatro) Equador (três), Paraguai (três), México (três), Bolívia (três), Peru (três), Uruguai (três) e Venezuela (três), além do campeão da Copa Sul-Americana.

Caberá à Conmebol recompor a relação de clubes a partir da saída dos mexicanos.

Os clubes do México disputavam a Libertadores desde 1998 e nunca foram campeões. Os únicos finalistas foram Cruz Azul (2001), Chivas Guadalajara (2010) e Tigres (2015).

 

Comentários pelo Facebook