Campeão em 2016, Nico Rosberg surpreende e anuncia a aposentadoria da Fórmula 1

Apenas cinco dias após ser campeão do Mundial de Fórmula 1, o alemão Nico Rosberg surpreendeu o mundo ao anunciar a sua aposentadoria da modalidade. O alemão de 31 anos publicou uma carta nas redes sociais após o anúncio ter sido feito em entrevista coletiva da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). O Rosberg havia renovado com a Mercedes até 2018.

O piloto, que conquistou o título no GP de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, afirmou que a decisão foi pessoal, que envolve motivos familiares, como o medo de sua mãe em vê-lo “voando” nas pistas. O alemão foi campeão com 385 pontos, cinco a mais que seu companheiro de equipe (e principal rival) Lewis Hamilton. E justamente essa briga nas pistas parece ter contribuído para a decisão de Rosberg.

– É difícil explicar. Desde que comecei, quando tinha seis anos, tinha um sonho muito claro, e este sonho era ser campeão mundial de F1. Agora, atingi isso. Ao mesmo tempo, foi um período muito difícil. Perder para Lewis Hamilton nos dois últimos anos foi extremamente difícil para mim. Isso deu um combustível em minha motivação de um modo que eu sequer sabia que seria possível reagir para alcançar, enfim, meu sonho – explicou Nico.

Veja na íntegra:

Em 25 anos no automobilismo, foi meu sonho, meu único, me tornar campeão mundial de Fórmula 1. Através de trabalho duro, de dor, dos sacrifícios, este foi meu objetivo. E agora eu consegui. Eu subi minha montanha, estou no meu auge, então me sinto bem. Minha emoção mais forte agora é aprofundar a gratidão a todos que me apoiaram por fazer esse sonho acontecer.

Esta temporada, eu digo a vocês, foi dura para caramba. Eu forcei como um louco em toda área depois das decepções nos últimos dois anos. Eles abasteceram minha motivação a níveis que eu nunca experimentei antes. E é claro que tive um impacto naqueles que eu amo também – foi um esforço familiar completo de sacrifício, colocando tudo atrás de nosso objetivo. Eu não posso encontrar palavras o suficiente para agradecer a minha esposa Vivian; ela tem sido incrível. Ela entendeu que esse era o ano, nossa oportunidade de fazer isso, e criar o espaço para eu me recuperar por completo entre cada corrida, olhando para nossa filha toda noite, lidando quando as coisas ficaram duras e colocando nosso campeonato como prioridade.

Quando eu ganhei a corrida em Suzuka, do momento onde o destino do título estava em minhas próprias mãos, a grande pressão começou, e eu comecei a pensar sobre encerrar minha carreira no automobilismo se eu me tornasse campeão mundial. No domingo de manhã em Abu Dhabi, eu sabia que essa poderia ser minha última corrida, e esse sentimento clareou minha cabeça antes da largada. Eu queria aproveitar cada parte da experiência, sabendo que poderia ser a última vez… e então as luzes se apagaram, e eu tive as mais intensas 55 voltas de minha vida. Eu tomei a decisão na segunda-feira à noite. Depois de refletir por um dia, as primeiras pessoas com que falei foram Vivian e Georg (Noite, da equipe de empresários), seguido por Toto (Wolff, chefe da Mercedes)

É difícil explicar. Desde que eu comecei, quando tinha seis anos, eu tinha um sonho muito claro, e este sonho era ser campeão mundial de F1. Agora, atingi isso. Eu coloquei tudo que tinha nisso durante 25 anos nas corridas. E com a ajuda de todos ao meu redor, meus fãs, minha equipe, minha família e meus amigos, eu consegui alcançá-lo este ano. Foi uma experiência incrível para mim, que lembrarei para sempre. Ao mesmo tempo, foi um período muito difícil. Perder para Lewis Hamilton nos dois últimos anos foi extremamente difícil para mim. Isso deu um combustível em minha motivação de um modo que eu sequer sabia que seria possível reagir para alcançar, enfim, meu sonho.”.

Comentários pelo Facebook